Carência de efetivos compromete trabalho da Receita Federal!

O trabalho da Receita Federal do Brasil vem sendo executado de forma ineficiente isto foi confirmado em relatório pelo Tribunal de Contas da União (TCU). De acordo com o TCU ao menos R$ 1,587 bilhão em dívida tributária poderia ter sido arrecadado em 2016. A maior queda na arrecadação ocorreu entre os anos de 2015 e 2016, porém a fiscalização já vem perdendo eficiência desde 2012.

Mas por que o órgão se encontra nessa situação?

São vários os fatores responsáveis por esta ineficiência podemos citar alguns como as alterações constantes nas leis tributárias; infraestrutura de TI comprometida; cargos de apoio sendo administrados por outros órgãos; e principalmente a defasagem no quadro de pessoal entre outros.

Além da queda na arrecadação sendo um dos principais problemas encontrados na Receita, existem também falhas no planejamento, diminuição no número de fiscalizações, sendo que isso contribuiu para que o governo federal registrasse em 2016 a pior arrecadação em 05 anos.

Outro agravamento encontrado no órgão está relacionado a distribuição dos colaboradores gerando um aumento do custo das atividades-meio. Atualmente o número de efetivos na área administrativa não supre a necessidade do órgão, por isso muitos Auditores, com remunerações mais elevadas, são incumbidos a exercerem essa atividade.

O TCU em busca de uma solução orientou a Receita Federal que apresente em até 90 dias um plano de ação com as medidas necessárias para que o problema atual seja sanado ou ao menos parcialmente resolvido. Além disso, o Tribunal de Contas propôs que a Receita simplifique o sistema tributário, a fim de otimizar os recursos, diminuindo o custo da arrecadação e reduzindo a sonegação.

» Estude para o concurso da Receita Federal com a Apostila Auditor Fiscal «

» Estude para o concurso da Receita Federal com a Apostila Analista Tributário «

Concurso Receita Federal edital

A Receita Federal não realiza concurso desde 2014, com isso o problema do déficit de servidores só se agrava. Em maio deste ano o órgão enviou ao Ministério do Planejamento (MPDG) pedido com nada menos que 2.083 vagas, esse número ainda é pequeno ante a necessidade da Receita, porém já será um grande alívio.

Destas 2.083 vagas, 630 são para Auditor Fiscal e 1.453 para Analista Tributário ambos com exigência de nível superior, porém a oferta deve se estender a cargos de Assistente Técnico Administrativo (nível médio) e Analista Técnico Administrativo (nível superior).

A remuneração, ponto que atrairá milhares de concursandos, atualmente está em torno de R$ 19,6 mil para Auditor que após o período de estágio probatório poderá atingir R$ 26 mil. Os Analistas recebem iniciais de R$ 11,2 mil que também terão os vencimentos elevados em R$ 15 mil. Os demais cargos contemplam salários de R$ 3,7 mil e R$ 4,9 mil.

Saiba mais sobre os concursos previstos para 2018 clicando » aqui «

Para finalizarmos é importante enfatizarmos a importância de se preparar, pois o concurso será bastante concorrido e com alto nível de complexidade das provas. Então, não perca tempo, continue seus estudos, prepare-se, pois o novo certame é certo e será anunciado no próximo ano.

Bons estudos!

Você também pode gostar...