Cursos on-line são opção para executivos ocupados

Executivos estão sempre ocupados. Por isso, muitos estão buscando formas alternativas de se manter atualizados e estudar, condição fundamental para evolução da carreira. Diante desse quadro, a educação a distância tem sido a solução encontrada para os que não conseguem deixar o escritório para freqüentar as salas de aula.

 

As empresas também estão atentas a essa necessidade, quando oferecem cursos nos programas de educação corporativa – cada vez mais, a aprendizagem on-line é utilizada e muitos executivos buscam em universidades on-line uma opção para fazer MBA, pós-graduação ou especialização com custos menores e mais flexibilidade de horário.

 

É o caso de Márcio Fugiy, gerente da filial no Rio de Janeiro de uma multinacional no ramo de embalagens industriais, que está cursando há oito meses o MBA Executivo em Administração de Empresas da FGV on-line, programa de ensino a distância da Fundação Getulio Vargas (FGV). A maior vantagem do ensino on-line segundo ele, é a flexibilidade de horário que o curso oferece.

 

“Estou sempre na ponte aérea Rio-São Paulo. Seria impraticável a minha presença em uma sala de aula. O curso on-line foi uma saída para minha falta de tempo e dificuldade de prever onde terei compromissos profissionais”, diz ele.

 

Além da flexibilidade de horários, o custo mais baixo foi o motivo pelo qual Renata Magina, analista de recursos humanos (RH) da Viação Nossa Senhora de Lourdes, optou cursar o MBA Executivo em Empresas da FGV on-line. Ela compartilha com Fugiy a idéia de que a não impossibilidade de um horário fixo é uma solução para quem planeja estudar e tem constantes problemas com horários na empresa. “Sou psicóloga e decidi ter conhecimento administrativo. Não conseguiria sair da empresa na hora planejada para assistir as aulas. Por isto, o caminho encontrado foi a educação a distância pela internet.”

 

Renata revela que é difícil manter a autodisciplina e seguir um plano de estudos.Ela aconselha estudar nas horas vagas ou em dias alternados. Uma desvantagem apontada pela profissional é que os assuntos não são bem discutidos como em sala de aula.

 

No entanto, para ela, a aproximação com o tutor e com o restante dos alunos, pela internet, é o maior no mundo virtual. Para Fugiy, o ensino on-line é uma inovação tanto do ponto de vista da tecnologia quanto na prática da aprendizagem. “A educação a distância não deixa nada a desejar aos cursos presenciais. Ela força o aluno a ser muito disciplinado e metódico. Sei que devo estar on-line para entrar no chat, respeitar o calendário planejado pela instituição e estudar por conta própria. Isso me força a ter autodisciplina para criar meu próprio tempo de estudo”, conta ele.

 

Para Felipe Spirelli, coordenador do FGV on-line, o ensino on-line a distância não é uma prática chata e solitária. “A educação a distância é uma alternativa para os executivos ocupados e comprometidos com seu futuro profissional. Há diversas modalidades de aprendizado para manter o aluno atualizado, seja pelo aceso individual ou corporativo pela internet”, conta ele. O curso mais procurado na FGV on-line é o MBA Executivo em Administração de Empresas que, a partir de março, terá ênfases em gestão, marketing, RH e meio ambiente.

 

Pioneiro em desenvolver e oferecer cursos on-line no Brasil , Fábio Barcellos, diretor da Quick Mind, desenvolveu projetos para empresas como a Companhia Vale do Rio Doce, SulAmérica, HSBC, Telemar, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) e Petrobrás. Ele aponta o preço baixo como a primeira vantagem do ensino on-line, capaz de atingir um número maior de pessoas com custo reduzido.

 

“A necessidade das empresas de ensinar muitas pessoas em pouco tempo gera uma complexidade logística e o treinamento on-line, por causa da flexibilidade de tempo, é a solução”, diz ele. No Brasil, segundo pesquisa realizada pelo Portal e-Learning, os investimentos acumulados em ensino a distância no mundo corporativo chegaram a US$ 80 milhões, em 2003.

 

A educação a distância permite que o executivo adeque o horário para estudar em casa ou no escritório.

 

Aumentou a oferta de cursos

 

O aumento do número de cursos disponíveis na internet influenciou diretamente o crescimento da procura por cursos a distância, segundo a coordenadora do Núcleo de Ensino a Distância da Universidade Veiga de Almeida (UVA), do Rio de Janeiro, Ilene Pessoa.

 

“A internet foi essencial para expansão do ensino a distância, justamente porque facilita o acesso ao conteúdo que, no ensino convencional, apenas poderia ser obtido através da presença do aluno”, diz ela.

 

Segundo Maria Rita Giordano, analista de RH da SulAmérica, o ensino on-line garante poder de concentração, pois o aluno pode reler e refazer, com resumos diários, os estudos. A falta de tempo, diz ela, também contribuiu para a opção da educação a distância. Rita fez três cursos.

 

De acordo com Márcia Deotto, gerente da Ibmec São Paulo, os pontos positivos da aprendizagem on-line são a eliminação do espaço físico, a curta duração dos cursos e os baixos custos par os alunos. “O perfil do aluno de educação a distância inclui organização e disciplina”, completa ela.

07

Fabrício Martins

Jornal do Commércio, Sexta-feira

03 de fevereiro de 2006, pág. B-8

Você também pode gostar...