Quem passa?

Fazer um concurso público é uma boa oportunidade para melhorar a qualidade de vida sem depender da sorte, pois o serviço público oferece condições de segurança e estabilidade que valem muito em um país com economia instável como o nosso.

Porém, a aprovação em um bom concurso público parece ser algo MUITO DIFÍCIL e que “não está ao alcance de qualquer um”. Realmente, o volume de matérias “parece” ser imenso e o número de candidatos também. Os obstáculos “parecem” INTRANSPONÍVEIS para uma pessoa comum.

Mas uma coisa é certa: ALGUÉM passa!!! E, conforme o concurso, esse “alguém” são 300, 400, 600 pessoas. Se forem contadas todas as vagas disponibilizadas por ano, serão milhares de vagas somente nas esferas federal e estadual. Quem ocupa todas essas vagas todas? Será que existem tantas pessoas “brilhantes” assim para ocupar todas essas vagas? É fácil concluir que esses candidatos aprovados são pessoas absolutamente normais, iguais a todos nós, até mesmo porque não há tantas pessoas “anormais”, ou geniais, para ocupar todas essas vagas!

Então, qual é a diferença entre essas pessoas “normais”, que passam, e as que não passam?

Em uma primeira análise, estudar muito parece ser a única resposta, mas a prática mostra que muitas pessoas que, simplesmente, ESTUDARAM MUITO, não obtiveram sucesso.

Então, por que estudar muito não é o suficiente para passar? A resposta é que os concursos públicos tornaram-se verdadeiras opções profissionais. Antes de serem meras “tentativas”, são escolhas feitas de forma “pensada”, o que faz com que as pessoas, realmente, INVISTAM seu tempo e sua dedicação. Quer dizer: “estudar muito” é o normal, NÃO DÁ VANTAGEM A NINGUÉM!

Portanto, dentre todos os que estudarem bastante, os aprovados serão aqueles que fizerem ALGO A MAIS, que tiverem trunfos, métodos, organização ou quaisquer coisas que lhes dêem vantagem em relação aos demais candidatos.

Nesse aspecto, muito pode ser feito: desde a preparação interior, psicológica, que envolve mudanças de atitude, até a elaboração de estratégias de prova e do desenvolvimento de técnicas para melhorar o índice de acertos na prova, passando também por métodos para um estudo eficaz e pelo planejamento e organização do processo de preparação. Esses diferenciais permitirão que você deixe de ser alguém que “estuda muito” para se tornar um candidato com reais chances de aprovação.

Com tudo isso, uma palavra torna-se fundamental nesse processo: PERSEVERANÇA. Substitua a pressa e a ansiedade pela firmeza e a consistência.

Lembre-se sempre que há um caminho para o sucesso, e ele está AO SEU ALCANCE!

Você também pode gostar...