TJ-SP Interior: O que faz um Escrevente Técnico Judiciário – Área Administrativa

Atenção concursando de nível médio que busca oportunidade de ingressar na carreira pública! Já estão abertas as inscrições para o novo concurso público do TJ-SP Interior (Tribunal de Justiça de São Paulo)!

O certame oferece 235 vagas para candidatos de nível médio nas comarcas no interior de São Paulo e as cidades vizinhas. O salário é de R$ 4,7 mil!

Se você está dúvida se vale a pena prestar o concurso, conheça as atribuições do cargo de Escrevente Técnico Judiciário – Área Administrativa e aproveite para intensificar seus estudos!

Como fazer a inscrição no concurso TJ-SP Interior?

As inscrições podem ser realizadas no site da banca organizadora, Fundação Vunesp, até às 16h do dia 14 de fevereiro de 2018.

O pagamento do boleto, no valor de R$ 68,00, deve ser efetuado em qualquer agência bancária até o dia 14 de fevereiro de 2018.

Cargos, salários e requisitos

A oferta é de 235 vagas para o cargo de Escrevente Técnico Judiciário, com jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Para participar é necessário que o candidato tenha nível médio completo de escolaridade.

A remuneração inicial é de R$ 4.706,53, mais benefícios como auxílio-alimentação, saúde e transporte.

Os candidatos aprovados e nomeados poderão tomar posse em uma das seguintes Regiões Administrativas Judiciárias 2ª, 3º, 5ª, 6ª, 7ª, 8º, 9ª e 10ª, compostas pelos seguintes municípios:

Araçatuba, Bauru, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba, que envolvem as circunscrições judiciáiras das cidades de Bilac, Birigui, Penápolis, Valparaíso, Lins, Promissão, Ilha Solteira, Mirandópolis, Pereira Barreto, Jales, Palmeira D’Oeste, Urânia, Agudos, Pirajuí, Piratininga, Botucatu, Itatinga, São Manuel, Avaré, Fartura, Itaí, Paranapanema, Ourinhos, Chavantes, Ipuaçu, Santa Cruz do Rio Pardo, Iepê, Maracaí, Palmital, Paraguaçu Paulista, Mirante de Paranapanema, Presidente Epitácio, Teodoro Sampaio, Dracena, Pacaembu, Tupi Paulista, Tupã, Adamantina, Bastos, Osvaldo Cruz, Marília, Pompéia, Cravinhos, Jardinópólis, São Simão, Sertãozinho, São Carlos, Descalvado, Ribeirão Bonito, Araraquara, Ibitinga, Itápolis, Franca, Batatais, Altinópolis, Nuporanga, Guará, Igarapava, Ipuã, São Joaquim da Barra, Guariba, Monte Alto, Pirangi, Pitangueiras, Taguatinga, São Sebastião da Grama, Bertioga, Cubatão, Praia Grande, São Vicente, Cananeia, Eldorado, Iguape, Jacupiranga, Juquiá, Miracatu, Pariquera-Açu, Itariri, Monte Aprazível, Neves Paulista, Nova Granada, Paulo de Faria, Barretos, Bebedouro, Olímpia, Viradouro, Catanduva, Novo Horizonte, Urupês, Nhandeara, Fernadópolis, General Salgado, Jacareí, Salesópolis, Caçapava, Campos do Jordão, Pindamonhangaba, São Bento do Sapucaí, Guaratinguetá, Bananal, Cunha, Lorena, Piquete, Queluz, Roseira, Ilhabela, Mairinque, Piedade, Pilar do Sul, São Roque, Cabreuva, Porto Feliz, Angatuba, Capão Bonito, Apiaí, Buri e Itararé.

Como será a prova do concurso TJ-SP

O certame possui um processo seletivo simples, se comparado a outros concursos com quatro, cinco ou mais fases. O concurso TJ-SP Interior – Escrevente conta com prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório e prova prática de formatação e digitação, de caráter eliminatório na segunda fase.

As provas objetivas serão aplicadas no dia 25 de março de 2018.

O exame traz 100 questões divididas em três blocos:

BLOCO I: Língua Portuguesa (24 questões);

BLOCO II: Conhecimentos em Direito (36 questões): Direito Penal, Direito Processual Penal, Direito Processual Civil, Direito Constitucional, Direito Administrativo e Normas da Corregedoria Geral da Justiça;

BLOCO III: Conhecimentos Gerais: 40 questões (atualidades 04, matemática 10, informática 16 e raciocínio lógico 10).

Aos candidatos habilitados e melhor classificados haverá ainda prova prática de digitação que constará da aferição do conhecimento e habilidade do candidato quanto a utilização do editor de texto em microcomputador.

O que faz um Escrevente Técnico Judiciário?

O Escrevente é responsável por executar atividades relacionadas à organização dos serviços que envolvam as funções de suporte técnico e administrativo às unidades do Tribunal de Justiça, dar andamento em processos judiciais e administrativos, atender ao público interno e externo, elaborar e conferir documentos, controlar a guarda do material de expediente, atualizar-se quanto à legislação pertinente à área de atuação e normas internas.

Sua principal atuação é dar suporte administrativo. O Escrevente Técnico Judiciário poderá atuar em duas áreas distintas podendo ser no cartório criminal e civil ou diretamente com o juiz. No primeiro caso o Escrevente terá por função juntar petições, atender ao público e advogados, realizar o “cumprimento” do processo, ou seja, executar a determinação do juiz via despacho, expedir mandados de citação ou intimação, ofícios, mandados de averbação, alvarás, mandados de levantamento judicial, mandado de prisão e mais uma série de documentos.

Já no segundo caso ele será responsável por transcrever tudo o que acontece em audiências.  A função envolve a digitação de dados e confecção de documentos e inserção dos dados do processo, podendo então ser consultado, garantindo o cumprimento de todas as fases do processo.

jornada de trabalho diária dos Escreventes varia podendo ser das 9:00h às 17:00h, ou das 10:00h às 18:00h, ou ainda, das 11:00h às 19:00h com cerca de 40 minutos de intervalo para almoço. As horas extras, realizadas em caso de necessidade, não são remuneradas, porém o servidor pode retirá-las como folga.

A exigência para o cargo é de ensino médio completo e tem remuneração inicial de R$ 4.706,53, mais benefícios como auxílio-alimentação, saúde e transporte. Além disso, o servidor terá adicional no salário de acordo com o título, por exemplo, para graduados em nível superior adicional de 5%, para pós-graduados 7,5%, mestres 10% e doutores 12,5%, lembrando que esses valores não são cumulativos.

Você também pode gostar...